Postagens

Mostrando postagens de Janeiro 20, 2008

Suplente nega relação com laranja e diz que vai assumir vaga no Senado (Folha)

Filho de Edison Lobão afirma que deixará o DEM porque "companheiros de partido não foram leais"

Empresário declara que não recorreu a assinatura falsa para transferir ações da Bemar em 1998 e afirma que não é sócio da Itumar

HUDSON CORRÊA
DO ENVIADO ESPECIAL A SÃO LUÍS

O suplente de senador Edison Lobão Filho (DEM-MA) afirmou ontem, em São Luís, que não teve participação na transferência de ações de sua antiga empresa, a Bemar Distribuidora de Bebidas, para uma laranja, empregada doméstica, com uso de assinatura falsa em 1998. Lobão Filho também afirmou que não é sócio da Itumar, outra empresa de distribuição de bebidas envolvidas com suposta sonegação fiscal. Disse que apresentará documentos ao Senado e ao DEM comprovando suas afirmações. Só depois passará os documentos também à imprensa, afirmou. Ele disse ainda que sairá do DEM pelas críticas recebidas, mas que "com certeza" assumirá a vaga de senador em substituição ao pai, Edison Lobão (PMDB-MA), que assumiu o M…

Pastor faz pregação no Ministério do Meio Ambiente, da Marina Silva

por Aldem Bourscheit, do O Eco, em 19.01.2008

Um pastor da Assembléia de Deus, mesma igreja freqüentada pela ministra Marina Silva, integra os quadros do Ministério do Meio Ambiente (MMA) desde agosto de 2005. Ele já usou a estrutura do órgão público para auxiliar na organização de ao menos um evento religioso, em 2007. E, segundo fontes ouvidas no ministério, não foi a única vez. Ele também dirige cultos evangélicos nas salas destinadas ao serviço público federal, freqüentados por servidores de todos os escalões.

A série de palestras, vídeos e debates Os Cristãos e a Criação – Responsabilidade Socioambiental, que começou em 25 de junho e se estendeu até 30 de julho de 2007, lançou a chamada Rede Jubileu da Terra no Distrito Federal. Um panfleto distribuído na ocasião, no Congresso e outros pontos de Brasília, traz o nome do pastor Roberto Vieira e dois números de telefone, um fixo e outro celular. O número fixo é do Ministério do Meio Ambiente, o mesmo divulgado como contato ao pé da…

Cartões do governo pagam até despesas em joalheria (Folha)

Ministra da Igualdade Racial, por exemplo, gasta R$ 461 em free shop e diz que se enganou

Portal do governo mostra que instrumento indicado para gastos "emergenciais" foi usado em choperia e loja de instrumentos musicais

LUCAS FERRAZ
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

Os cartões de crédito corporativo do governo federal, indicados para gastos "emergenciais", como a compra de material, prestação de serviços e diárias de servidores em viagens, foram usados em 2007 para pagar despesas em loja de instrumentos musicais, veterinária, óticas, choperias, joalherias e em free shop, conforme dados do Portal da Transparência, site do próprio governo.

Os responsáveis pelas compras afirmaram que a prática é legal e todas as compras eram necessárias. Não foi o que aconteceu com a ministra Matilde Ribeiro (Igualdade Racial), que pagou despesa de R$ 461,16 em um free-shop em outubro do ano passado.

Alertada pelo ministério, ela reconheceu o "engano" e afirmou ter ressarcido o valor à Un…

Jobim libera escalas em Congonhas (Estadão)

Ministro também volta atrás na questão da ampliação de Cumbica: terceira pista não será mais construída

Luciana Nunes Leal e Isabel Sobral

Seis meses depois de anunciar medidas emergenciais para reformular o sistema aéreo, sob o impacto do acidente com o Airbus da TAM, que matou 199 pessoas em São Paulo, o governo federal recuou ontem de medidas que apresentou como cruciais para evitar o caos aéreo e garantir a segurança dos passageiros. A partir de 16 de março, o Aeroporto de Congonhas, zona sul da capital, voltará a receber escalas e poderá ser usado pelas empresas para fazer conexões. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, anunciou ainda a desistência - por “inviabilidade técnica” - da construção da terceira pista do Aeroporto de Cumbica, Guarulhos, antes apontada como fundamental para reorganizar o chamado “terminal São Paulo”.

Apesar das regras mais flexíveis, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse que será mantido o limite máximo de 34 movimentos (pousos e decolagens) por hora. Ser…

Fiéis da Universal processam a Folha de S. Paulo

Desde o início desta semana, 28 fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus entraram na Justiça com ações individuais contra a Empresa Folha da Manhã S.A., que edita o jornal Folha de S. Paulo. Os processos são independentes -cada um tramita numa determinada cidade ou estado. A informação foi divulgada pelo próprio jornal neste sábado (19/1).

Nas ações, todos os fiéis alegaram terem se sentido ofendidos pela reportagem "Universal chega aos 30 anos com império empresarial", publicada pela Folha em de 15 de dezembro. A reportagem é da jornalista Elvira Lobato, que também foi citada nas ações de indenização por danos morais.

No texto, a repórter relatou que, em 30 anos de existência, a Igreja Universal construiu um conglomerado empresarial em torno do grupo. Elvira Lobato informou que uma das empresas da Igreja, a Unimetro, está ligada à Cableinvest, registrada no paraíso fiscal da ilha de Jersey, no canal da Mancha. "O elo aparece nos registros da empresa na Junta Comercial …

Mangabeira vende extravagâncias (Estadão)

Com comitiva de 35 pessoas, chamou atenção na Amazônia mais pelas idéias inusitadas que por um projeto viável

João Domingos, BRASÍLIA

Um estudo do Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), divulgado dia 7, informou que até 2006 apenas 5% das residências da Região Norte eram servidas por esgoto. E que em Belém apenas 9% dispunham do benefício. Na mesma Belém, oito dias depois, o ministro de Assuntos Estratégicos da Presidência, Roberto Mangabeira Unger, anunciou suas primeiras idéias para a pasta criada no ano passado - a principal delas, a construção, no futuro, de um aqueduto para levar água da Amazônia para o semi-árido Nordestino.

No dia seguinte a prefeita de Santarém, Maria do Carmo (PT), trouxe Mangabeira de volta à realidade: lá, a água é abundante, mas não chegou, sequer, às casas da região. Não seria melhor resolver esta questão primeiro? Na viagem de quatro dias à Amazônia, o ministro despertou mais atenções por suas idéias extravagantes que por um projeto viá…

A família que a guerrilha destroçou (Estadão)

Gloria Polanco está há seis anos em poder das Farc, que mataram seu marido e seqüestraram 2 de seus 3 filhos

Ruth Costas, BOGOTÁ

A história da família Polanco Lozada é um dos retratos mais comoventes do drama humano criado pelo conflito colombiano. A mãe, a ex-congressista Gloria Polanco, é a mulher que há mais tempo está em cativeiro no mundo. Até agora, foram seis anos e meio nas mãos das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). O pai, o ex-governador do Departamento de Huila Jaime Lozada, foi assassinado pela guerrilha em 2005 e dois dos três filhos já foram seqüestrados. 'Não sinto ódio pela guerrilha porque remoer esse sentimento seria algo que só me faria mal', disse ao Estado Jaime Felipe Lozada, de 23 anos, que hoje é, nas suas palavras, 'pai e mãe' de seus dois irmãos menores. 'Obviamente, o que mais queríamos hoje é que todos estivessem juntos, assistindo à TV na cama de meus pais ou conversando sobre as coisas do dia-a-dia, mas tentamos tocar a v…

Tendência é que casos de febre amarela se reduzam (Folha)

Para ministro da Saúde, aumento da vacinação deve conter evolução da doença

ANGELA PINHO
JOHANNA NUBLAT
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

Confrontado com uma escalada do número de casos de febre amarela no país e, ao mesmo tempo, com a corrida da população pela vacina, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirma que há "um clima de irresponsabilidade no país" e culpa a mídia por parte dele. Para Temporão, 56, setores dos meios de comunicação induziram a população a uma "interpretação equivocada" da doença. "O governo fala uma coisa e parte da imprensa estimula outra", disse em entrevista à Folha, por telefone, na tarde de sexta-feira.

Apesar de afirmar que essa mesma mídia, para ele, precisa "esquecer a política com "p" pequeno", o ministro nega sofrer pressão política e diz que o ministério não vai divulgar a lista de municípios em áreas de risco porque essa tarefa é dos governos estaduais e prefeituras.

Temporão voltou a negar a possibilidade d…