Postagens

Mostrando postagens de Janeiro 30, 2011

Documento revela que Ratzinger defendeu uma reforma do celibato

Imagem
por Miguel Mora e Laura Lucchini, do El País

Em 1970, Joseph Ratzinger (foto) pensava que o celibato não era uma instituição intocável. Mais que isso: era partidário da sua reforma e de que a Igreja católica voltasse à tradição antiga oriental: padres casados, bispos celibatários. A posição consta, preto no branco, num documento nunca publicado, assinado pelo atual Papa, que na época era professor em Tübingen, e por outros oito teólogos alemães, que foi publicado pela revista Pipeline, do grupo católico crítico Aktionskreis Regensburg (AKR).

O texto era um relatório preparatório solicitado pela Conferência Episcopal Alemã aoSínodo dos Bispos que se realizaria no ano seguinte em Roma. Os teólogos alemães indicavam que a obrigação de não casar era uma das principais causas pela falta de vocações e de jovens padres. O documento tem a data de 2 de fevereiro de 1970 e foi assinado por estudiosos de fama mundial como os teólogos Karl Rahner, Otto Semmelroth e os atuais cardeais Karl Lehmann …